Entretenimento,  Série e TV

Game of Thrones | 8ª Temporada – 1º Episódio: Winterfell

Os fãs esperam desde 2017 por este momento e a HBO prometeu uma season finale de respeito, afinal de contas, Game of Thrones deixará um legado após seu término, principalmente com as produções de spin-off já confirmadas. Os showrunners David Benioff e D.B Weiss, carregam uma grande responsabilidade nas mãos e já prometeram um final impactante. A 8ª temporada de Game of Thrones, estreou neste domingo, 14, e teve um início um pouco mais leve do que era esperado por muitos e com uma nova abertura, que dá sinais do que está por vir.

Atenção leitores! Este texto contém SPOILERS! Caso não tenha assistido ao episódio ainda, retorne mais tarde. Você foi avisadx.

Com cerca de 60 minutos de duração, a 8ª temporada de Game of Thrones inicia a história nos apresentando alguns reencontros que foram ansiosamente aguardados durante toda a série. O 1ª episódio, intitulado como “Winterfell” faz jus ao nome, já que a maior parte do arco dramático se passa na terra dos Starks; toda a trama inicial está presa no local. No episódio escrito por Dave Hill e dirigido por David Nutter, podemos rever todos os Starks que sobreviveram juntos pela primeira vez em Winterfell, com a presença de Jon Snow (Kit Harington), o que chega a acalentar o coração do telespectador. (Quem aí não se derreteu ou deixou escorrer uma lágrima com o abraço de Jon e Arya?). Mas apesar do clima caloroso inicial, logo somos interrompidos pelo próprio Bran (Isaac Hempstead-Wright), de que não havíamos tempo para isso, como se chamasse a atenção dos personagens e do próprio telespectador para a realidade do que está por vir; inclusive, alertando Daenerys e Jon de que o Rei da Noite conseguiu ressuscitar Viserion. (ACORDA! Que esse clima bom não vai durar). Também tivemos a afirmação de que os nortenhos não aceitariam bem o fato de Jon ter se abdicado da coroa em troca do apoio de Daenerys (Emilia Clarke), na guerra contra o Rei da Noite (Vladimir Furdik). Por mais que os perigos tenham sido reafirmados por Jon inúmeras vezes e explicado aos diversos povos, vários deles, se não todos, ainda sentem grandes dificuldades em se desapegar de seus títulos, e porque não assim dizer, do passado e de seus próprios egos.

(Reprodução/Divulgação: Game of Thrones| HBO)

O clima entre Jon e Daenerys iniciou em harmonia, em uma atmosfera romântica, o que já era esperado após o envolvimento entre ambos na 7ª temporada. Jon também se aproximou mais dos dragões de Daenerys, como se os mesmos pudessem saber antes mesmo de Jon, que em suas veias também corre sangue da família Targaryen. Podemos presenciar o primeiro voo de Jon Snow em Rhaegal, o dragão que leva o nome que homenageia o verdadeiro pai de Jon. A cena não traz nenhuma grande relevância, mas se torna interessante de assistir, dado que pela primeira vez o personagem está entrando em contato com as verdadeiras origens. O fato de que Jon Snow, na realidade é Aegon Targaryen, fruto do romance entre Rhaegar Targaryen e Lyanna Stark, sempre foi uma teoria dos fãs, e após ser comprovada na 7ª temporada, o verdadeiro sucessor do trono de ferro provavelmente entrará em um empasse com Daenerys que tanto lutou pelo até então direito de herdar os Sete Reinos.

Bran alerta Samwell (John Bradley-West) já no primeiro episódio que havia chegado o momento de revelar a verdadeira identidade de Jon, visto que os nortenhos começam a entrar em conflito se devem ou não apoia-lo, após reverter o título de Rei do Norte. A descoberta de Sam de que Daenerys não poupou a vida de seus familiares, o estimula a contar a verdade para o amigo, soando talvez como uma espécie de vingança pessoal, podendo contribuir com a retirada do título de Rainha da herdeira Targaryen. Jon mesmo afirma no início do episódio para a mãe dos dragões que os nortenhos possuem grandes dificuldades em confiar em estrangeiros. A revelação pode ajudar a mantê-los unidos para enfrentar os mortos que estão a caminho do Norte.

(Reprodução/Divulgação: Game of Thrones| HBO)

Apesar do 1º episódio da 8ª temporada de Game of Thrones ter iniciado em um clima familiar pelos reencontros tão esperados, Lady Sansa (Sophie Turner) enfrenta um momento particular de grandes decisões e apreensões, algo compreensível visto todo o histórico que a personagem teve até aqui. Aliás, nos deparamos com uma personagem bem mais madura, segura de suas opiniões e decisões, o que parece agradar até mesmo Arya (Maisie Williams), na qual sempre viveu em discordância. Conseguimos sentir essa avaliação da personagem, como Tyrion (Peter Dinklage) faz ao se reencontrar com a jovem, mencionando inclusive que muitas pessoas que a subestimaram, estavam mortas. Sansa, assim como os povos nortenhos, também mostra grande descontentamento ao descobrir que o ‘irmão’ abandonou o título de Rei por Daenerys, e deixa claro pra Jon suas desconfianças sobre o real motivo de tê-lo feito, se de fato foi uma decisão em prol da guerra ou por ter se apaixonado pela mãe dos dragões. Lady Sansa também demonstra grande preocupação com a escassez de comida perante o inverno rigoroso e o grande número de pessoas em Winterfell. 

As preocupações de Sansa perante o comportamento pouco confiável de Cersei (Lena Headey) parecem se comprovar com o pouco que nos foi apresentado pela atual “dona” do trono de ferro. Cersei não concorda com a ida de Jaime (Nikolaj Coster Waldau) até o Norte e demonstra grande satisfação com a frota das Ilhas de Ferro que desembarca em Porto Real. Cersei também cede as pressões de Euron Greyjoy (Pilou Asbæk) e acabam dormindo juntos. O diálogo entre o casal demonstra que a personalidade de ambos se assemelham em diferentes fatores, e apesar de Euron ser uma pessoa imprevisível, Cersei se identifica com o “Rei” das Ilhas de Ferro. Apesar de não demonstrar abalo em relação aos irmãos, perante os olhos do povo, é possível sentir a solidão vinda de Cersei, principalmente após o encontro com Euron, como se pudesse se desmoronar quando sozinha. Bronn (Jerome Flynn) recebe a missão de executar Jaime e Tyrion, após os irmãos da Rainha apoiarem Daenerys. A atuação de Lena Headey entrega uma intensidade que atravessa as telas – bravo!

(Reprodução/Divulgação: Game of Thrones| HBO)

Theon (Alfie Owen-Allen) parece finalmente ter criado coragem, após salvar a irmã, Asha (Gemma Whelan), que era mantida como refém por Euron, na qual afirma ser a verdadeira herdeira das Ilhas de Ferro. Asha percebe uma mudança no irmão e o encoraja a lutar pelos Starks, após ele ter demonstrado interesse em defender Winterfell. Era o mínimo que Theon poderia fazer, visto todos os erros que cometeu com os Starks no passado, e que custaram caro para a família nos tempos atuais.

De maneira breve, vemos o reencontro de Arya com O Cão (Rory McCann), como também com o velho conhecido, Gendry (Joe Dempsie), o filho bastardo de Robert Baratheon. Gendry é visto trabalhando a todo momento com Vidro de Dragão, na produção em massa das armas que serão essenciais para combater o exército dos mortos. Apesar de grande apego à agulha, presente de Jon ainda na primeira temporada, Arya entrega um pergaminho para  Gendry contendo o desenho de uma arma. Provavelmente deveremos descobrir mais sobre a encomenda misteriosa nos próximos episódios.

Uma grande dúvida que pairou por 2 anos na cabeça dos fãs, era se havíamos dado adeus a Tormund (Kristofer Hivju), no momento em que o Rei da Noite destrói a Muralha de Gelo no último episódio da 7ª temporada, visto que o selvagem se encontrava no local no momento do ataque. Mas descobrimos que na realidade o ruivo conseguiu sobreviver, juntamente com outros membros da Patrulha da Noite, como Ben (Eddison Tollett), e presenciam um macabro “aviso” deixado pelo Rei da Noite. O desafio, portanto, se torna chegar até Winterfell antes do exército de mortos, a fim de avisar Jon, na tentativa de sobreviverem ao ataque.

(Reprodução/Divulgação: Game of Thrones| HBO)

Bran passa praticamente o episódio inteiro no mesmo local, e quando questionado, apenas alerta que está à espera de um velho amigo. Ao término, descobrimos que o tal amigo, na realidade era Jaime Lannister, que se espanta ao ver Bran vivo. A última vez que se encontraram foi quando o regicida empurrou o menino de cima da torre, ao flagrá-lo com a irmã, Cersei, na 1ª temporada. Jaime é o responsável pela paraplegia de Bran. Visto toda a mudança de postura e comportamento de Bran após se tornar o Corvo de Três Olhos, Jaime deve ter uma missão importante na guerra, de acordo com as visões do garoto.

A 8ª temporada de Game of Thrones estreou com calma, acertando as pontas soltas entre os personagens e resolvendo as problemáticas necessárias para partir para o que o público mais anseia assistir, a guerra entre os caminhantes brancos vs humanos.

A HBO divulgou o teaser do segundo episódio da 8ª Temporada de Game of Thrones, e ao que tudo indica, já conseguiremos presenciar conflitos em uma Winterfell que presumivelmente está sendo atacada.

Game of Thrones | 8ª Temporada - 2º Episódio

Confira nossos últimos textos no blog, clicando aqui

Uma jornalista um tanto quanto nerd, apaixonada por conteúdo, música, filmes, séries e afins. Fundou o blog para dividir as alegrias e as angústias de uma vida que surpreende a cada novo capítulo.

One Comment

  • Marcio Roberto

    Gostei do seu conteúdo, até salvei aqui nos favoritos para
    ler depois com calma outras publicações. Não sei se vocês
    já possuem alguma forma de divulgação online (ou
    marketing digital), mas seu site merece ser conhecido e
    visitado por mais pessoas com certeza. Se eu puder te
    ajudar de alguma forma, ou parceria etc, entra em contato
    comigo.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.