Mariama visitando Glendalough e o Parque Nacional das Montanhas Wicklow
Explorando por aí,  Viagem,  Vou ali e já volto!

GLENDALOUGH | PARQUE NACIONAL DAS MONTANHAS WICKLOW

Glendalough é um pedacinho da Irlanda que deveria ser obrigatoriedade de se visitar quando se viaja para a Irlanda. Em meio as deslumbrantes e famosas montanhas Wicklow, ao sul de Dublin, a natureza é capaz de tirar o fôlego, ao vivo e em telas, já que o local vem sendo há anos, utilizado como cenário para compor as histórias das produções cinematográficas.

A viagem dura cerca de 2 horas de Dublin, pegando o ônibus 181 no St. Stephen’s Green Park e custa entorno de €36 por pessoa, portanto, 18 para ir e 18 para voltar. Ônibus confortável e viagem segura por um valor razoavelmente bom para um passeio tão bonito.

Existem algumas opções de estadia no local, inclusive, você pode verificar com agências de turismo em Dublin sobre algumas opções já o transporte incluso, ou como nós fizemos, alugar por contra própria um quarto de hotel no Booking.

No caso, nós escolhemos o The Glendalough Hotel, que amamos, principalmente por conta da localização. Ele fica na entrada do parque, então é excelente para aproveitar bem o passeio e depois voltar para o hotel para descansar. Os valores dependem do quarto que desejam e da época que vocês pretendem visitar o local, caso queiram ver o hotel, vamos deixar o link aqui.

Lembrando que fizemos este passeio na pandemia, então, muitas atividades que eles fazem no hotel pela noite, por exemplo, estavam todas canceladas, mas disseram que normalmente acontecem shows de música, porque de noite não acontece mais nada por lá, apenas um jantar e depois partiu dormir.

O VALE PARA VISITANTES, GLENDALOUGH

O Parque Nacional das Montanhas Wicklow abrange cerca de 20.000 hectares de paisagem montanhosa e não cobra taxa de entrada para o parque. A única taxa cobrada no local é para estacionamento, então se você pretende ir dirigindo, saiba que você pagará um valor à parte por isso.

Glendalough é um vale muito bem cuidado, cheio de trilhas para diferentes níveis, com acesso a banheiro, lixeiras espalhadas e tudo muito limpo. Até porque, eles vivem e pregam o estilo de vida: Leave No Trace, algo como: “Não deixar rastros”, ou seja, nada de deixar lixos, acender fogueiras ou fazer atividades que possam de alguma forma impactar o meio ambiente. Até porque o propósito primário do Parque Nacional é a conservação da vida selvagem, o habitat local e as paisagens. Exatamente por isso nem tudo é permitido.

Para aproveitar o passeio da melhor forma possível, estejam dispostos a andar! Por isso, não se esqueçam de levar bastante água para se hidratar e alguns lanchinhos para fazer um piquenique, assim é possível economizar dinheiro e a vista também é excelente pra isso. Só para ter uma ideia, um sanduíche simples, no caso, hambúrguer com batata frita na região, custa entorno de €13.

Andando pelo Parque Nacional das Montanhas Wicklow

Segundo as informações do site oficial do O Parque Nacional das Montanhas Wicklow, na última parte do século VI, St. Kevin cruzou as montanhas de Hollywood rumo à Glendalough. Em 100 anos, a área se desenvolveu de um remoto eremitério para um dos mais importantes locais monásticos da Irlanda. O mosteiro continuou a florescer, mesmo após a morte de St. Kevin em 617 d.C.

No final do século VIII, o monastério empregava até 1.000 leigos para ajudar no cultivo e a cuidar do gado na região. Os mosteiros eram ricos. Além de estoques de tesouros, a maioria dos mosteiros mantinham estoques substanciais de alimentos e conseguiam sobreviver a fomes periódicas.

Por este motivo, estes sítios se tornaram alvos fáceis e desejados para saques. Entre entre 775 e 1095, a região foi saqueado muitas vezes por tribos locais e invasores nórdicos, mais conhecidos como vikings. Normalmente as igrejas e casas eram queimadas pelos invasores, mas as pessoas sempre reconstruíam o local após a invasão.

O mosteiro de Glendalough acabou entrando em declínio, mas não por causa das constantes invasões, acreditem, mas devido a mudança no poder político, mais especificamente quando a vila foi anexada à diocese de Dublin, em 1152, acarretando na diminuição da importância do local.

Apesar do real motivo do local ter perdido sua essência, ele manteve um significado espiritual e se tornou um ponto turístico importante para os irlandeses e atrativo para os turistas estrangeiros.

Atualmente, as ruínas do antigo local monástico estão espalhadas por todo o vale de Glendalough e muitos têm quase 1000 anos.

Cemitério dos antigos Monastérios
Andando pelas Montanhas Wicklow

Aliás, as paisagens deste lugar se parecem familiar porque elas foram cenário de várias produções. Se você, assim como eu, é fã da série Vikings, com certeza você precisa colocar as montanhas de Wicklow no seu roteiro de viagem quando passar pela Irlanda! É possível visitar vários lugares que foram utilizados para gravar a série, aliás, para quem não sabe, o elenco morou por anos em Dublin durante 2013 e 2020, quando ainda estava sendo exibida. Quem morou por aqui neste período, poderia facilmente encontrar os atores pelas ruas, pubs e restaurantes de Dublin.

Uma curiosidade aleatória para vocês é que o restaurante de comida japonesa favorito deles, é de um brasileiro em Dublin, chamado Sushi Sakai , inclusive eles foram contratados para servir um jantar de aniversário no apartamento do próprio Alex Høgh Andersen, o Ivar The Boneless.

Quando estivemos em Glendalough, pela última vez, Vikings: Valhalla, a série spin-off produzida pela Netflix, estava sendo filmada na região. Só não conseguimos ter acesso a Lought Tay ou Guinnes Lake como é popularmente conhecido, porque é uma área privada atualmente.

Gostaram? Então me conta, quais lugares você gostaria de me ver visitando na Irlanda e produzindo conteúdo sobre eles para vocês?

Vou ali e já volto! Beijos e até a próxima.

Coautoria: Marcella Montanari

Informações históricas: wicklowmountainsnationalpark.ie

Continue navegando em nosso blog. Para acessar o último post publicado, clique aqui.

Uma professora que gosta de ensinar mais do que idiomas, que gosta de viver uma vida de recomeços, principalmente de compartilhar experiências e causos.

One Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.