(Divulgação: Marvel Studios)
Entretenimento,  Filmes

VINGADORES ULTIMATO | O ENCERRAMENTO DE UMA ERA

ESTE TEXTO CONTÉM DE SPOILERS! VOCÊ ESTÁ AVISADX!

Em nenhuma circunstância é fácil dizer adeus para o quê ou quem amamos. Tão menos digerir 11 anos de história em 3 horas e poucos minutos de Vingadores Ultimato. O MCU conseguiu fechar um ciclo de histórias com maestria e brilhantismo, presenteando os fãs com um espetáculo e uma experiência que dificilmente será esquecida pelos amantes de super-heróis. As expectativas para o longa eram altas e o resultado foi entregue à altura. Os defeitos não estragam o filme e são perdoados tamanho a entrega de entretenimento. Será preciso tempo para absorver essa despedida de mais de uma década, e sem dúvidas, levará o retorno dos fãs ao cinema enquanto o filme permanecer em cartaz.

Vingadores Ultimato não descarta o bom humor em níveis sensatos, para tratar da seriedade da questão. Trilhões de seres vivos desapareceram com um breve estalar de dedos de Thanos (Josh Brolin) em Guerra Infinita. Os Vingadores foram derrotados e pagaram um preço alto por isso. Ultimato traz personagens com sede de vingança, mas não reduz o medo que os mesmos sentem pelo fracasso e as consequências severas disso. O lado humano dos super-heróis é explorado veemente, sem medo de mostrar que inclusive eles, com seus poderes, podem ser frágeis, principalmente quando relacionamos as pessoas que amamos.

Acostumados a assistir os personagens ferozes e inabaláveis, Vingadores Ultimato nos traz super-heróis tomados pelo medo, pela raiva, insegurança de algo não sair novamente como planejado, mesmo com o desejo de vingança. Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch) já havia previsto em Guerra Infinita que haviam 14 milhões de possibilidades diferentes de combater Thanos, mas somente em um futuro, os Vingadores sairiam vitoriosos. Sem que saibamos, Stephen Strange já havia previsto que era necessário que os super-heróis passassem por toda aquela perda e tempo para reverter o dano causado pelo vilão, preço este que custou a vida de Natasha Romanoff (Scarlett Johansson) e Tony Stark (Robert Downey Jr.). Como era previsto, a Capitã Marvel (Brie Larson) não assume protagonismo no filme, pelo contrário, ela chega para somar ao grupo, o filme se trata disso, da união e cooperação de todos, que valem igualmente para o êxito do plano.

(Divulgação | Reprodução: Marvel Studios)
(Divulgação | Reprodução: Marvel Studios)

CAPITÃO AMÉRICA: AVENGERS ASSEMBLE!

E finalmente a Marvel incluiu o bordão clássico de Steve Rogers (Chris Evans) em Vingadores, esse que muitos fãs esperavam há anos. “Avengers, assemble!” (Avante, Vingadores). Porém, a fala que é conhecida como uma espécie de grito de guerra, não aparece como um grito aos 4 ventos, para que todo o exército pudesse ouvir, mas como um sussurro, uma espécie de lembrete para o próprio Steve Rogers. Aquele fan service pra aquecer o coração.

ADEUS A GRANDES PERSONAGENS EM VINGADORES ULTIMATO

A todo o momento vemos o pesar das partidas, assim como também a celebração da vida e da família, daqueles que amamos. Tony Stark que o diga, o personagem tem a oportunidade de reencontrar o pai quando volta ao tempo juntamente com o Capitão América. O Homem de Ferro ainda consegue formar uma família com Pepper Potts (Gwyneth Paltrow) e criam a esperta Morgan Stark (Alexandra Rachael Rabe) durante os 5 anos que se passam após o ataque de Thanos. É exatamente o privilégio de ter o que a maior parte do universo perdeu, que motiva Tony a voltar atrás em sua decisão e cooperar novamente com os Vingadores, mesmo que isso significasse perder a própria vida e o que conseguiu nos últimos anos.

O sacrifício da Viúva Negra também tem papel importante nisso. Natasha Romanoff e Clint Barton (Jeremy Renner) ficam presos em um embate quando chegam até o planeta Volmir e descobrem através do Guardião que para obter a Joia da Alma, é preciso sacrificar uma vida. O Gavião Arqueiro que havia se afastado dos Vingadores para se dedicar a família e passar mais tempo com os filhos, se viu obrigado a reintegrar o grupo para desfazer a perda de trilhões de vidas, incluindo as de seus membros familiares e se vê disposto a doar a própria para salvá-los. A Viúva Negra não tem vínculos familiares demonstrados ao longo dos filmes, o Caveira Vermelha (Ross Marquand) chega inclusive a mencionar o nome do pai da heroína, mas ela revê-la que nunca soube dessa informação. Natasha, que desenvolveu um breve romance com Bruce Banner (Mark Ruffalo), que não engatou ao longo dos filmes, também já havia mencionado para o cientista que na Sala Vermelha, na qual foi criada e treinada para ser uma assassina, eles possuíam uma cerimônia de graduação, em que foi esterilizada, ou seja, ela jamais poderia ter filhos. A cena dá abertura para interpretação que, ao ver da personagem, as pessoas que ela amava, as pessoas que se tornaram sua grande família na realidade eram os Vingadores, e se mostrou disposta a se sacrificar se isso significasse salvá-los, além das trilhões de vidas que desvaneceram no universo.

As cenas do confronto final são de tirar o fôlego. O embate entre o Homem de Ferro, Capitão América e Thor são um espetáculo à parte. Quando tudo parece perdido e os portais criados pelo Doutor Estranho se abrem, possibilitando que aqueles que haviam sido destruídos por Thanos, cheguem à batalha – é bem provável que você sinta vontade de gritar, pular, chorar ou tudo junto e misturado. É provável que o MCU tenha conseguido criar um novo sentimento ainda a ser identificado após essa sequência de cenas em Vingadores Ultimato.

(Divulgação | Reprodução: Marvel Studios)

A FORÇA FEMININA NA BATALHA FINAL

As grandes empresas cinematográficas estão despertando para a importância da representatividade na sétima arte. E apesar do MCU ter perdido um pouco o timing para realizar uma produção solo da Viúva Negra que por muito tempo assumiu o papel feminino “protagonista” quase exclusivo nos Vingadores, está acertada para 2020. A Marvel tem realizado produções importantes e dado passos maiores para reverter esse olhar. Em 2019, demos as boas-vindas para à Capitã Marvel, que deve assumir a frente dos Vingadores na nova fase. A super-heroína que foi taxada como arrogante por alguns, principalmente após Brie Larson, atriz responsável pela protagonista, afirmar que este filme foi feito para mulheres. Se doeu quem não entendeu o contexto da fala ou não fez questão de entender. O que a atriz quis dizer é que o filme é para qualquer um que aprecie este universo, mas ele é sim direcionado para quem se sente representado por ele, ou seja, pelas mulheres. Os filmes de heróis que assumem o protagonismo feminino, em sua grande maioria, exibem mulheres de maneira hipersexualizada. Capitã Marvel assumiu uma nova abordagem e vem para dar um basta no contexto que a maioria estava acostumado, diferente inclusive da Viúva Negra.

Como mulher, foi um sonho de infância se realizando ser presenteada com o momento em que as principais heroínas se reúnem para proteger a manopla e Peter Parker. A cena conta com Capitã Marvel, Feiticeira Scarlate (Elizabeth Olsen), Valquíria (Tessa Thompson), General Okoye (Danai Gurira), Pepper Pots, Mantis (Pom Kkementieff), Shuri (Letitia Wright), Vespa (Evangeline Lilly), Gamora (Zoe Saldana) e Nebula (Karen Gillan). Chorei. Chorei muito e voltei a ser criança enquanto estava sentada no cinema. Uma cena linda de força feminina e que arrepiou, mostrando que a presença das mulheres também seria crucial para a vitória. Falando como mulher, essa cena foi a mais importante no quesito representatividade que eu já vi até hoje nos filmes de heróis de todos os tempos. Mulheres, todas diferentes, mas unidas pelo único propósito, derrotar o inimigo em comum. É difícil para que alguns homens consigam entender o poder que essa cena retém, porque vocês sempre tiveram quem os representassem e com maestria. Parem de pensar que nós mulheres também não apreciamos os heróis, porque nós os amamos, mas é preciso dividir o protagonismo para que outras pessoas se assemelhem igualmente, é importante. É preciso que haja espaço para todos, o protagonismo precisa ser dividido. Por isso Pantera Negra foi histórico para a comunidade negra. Entretenimento não é competição. Entretenimento precisa ser inclusivo.

(Divulgação | Reprodução: Marvel Studios)

O LEGADO DO CAPITÃO AMÉRICA

Ao final, também demos adeus ao legado de Steve Rogers. O Capitão que passou décadas servindo ao exército americano e depois aos Vingadores em diversos conflitos decide se “aposentar” e aproveitar um pouco da vida que lhe foi roubada ao sofrer o acidente em que o manteve congelado por 70 anos. Após o conflito com Thanos, Rogers se oferece para devolver as Joias do Infinito aos seus locais de origem, impedindo desta forma que novas linhas temporais se abram, nisso decide seguir o conselho de Tony Stark e resolve viver uma vida feliz com o amor de sua vida, Peggy Carter (Hayley Atwell), mais conhecida como Agente Carter – a mulher cujo retratado foi guardado ao longo de todos esses anos e carregado consigo em seu uniforme. Quando retorna do passado, o Capitão está velho, mostrando ter aparentemente perdido o soro que o mantinha com a aparência jovem e decide entregar seu escudo a Sam Wilson (Anthony Mackie), o Falcão, que ao que tudo indica, deve assumir o manto do Capitão América na nova fase dos Vingadores.

THOR: BÊBADO E AMEDRONTADO

Um dos personagens mais importantes do Universo Marvel não teve uma abordagem interessante em Vingadores Ultimato. No primeiro arco vemos um Deus do Trovão mais calado, pensativo e odioso, que em seguida, é transformado em um super-herói bêbado, acima do peso e amedrontado pelos fatos históricos da última batalha. Entende-se que o Asgardiano é o alívio cômico do grupo, mas a postura durante todo o filme não se assemelha ao Thor (Chris Hemsworth) que estamos acostumados a ver. O personagem deixa e muito a desejar nesse fechamento de fase. Basta saber o que está por vir nos planos futuros do MCU, já que o Deus do Trovão nomeou a Valquíria como Rainha de Asgard e se uniu aos Guardiões da Galáxia para novas aventuras.

HULK + BRUCE BANNER: O MELHOR DOS DOIS MUNDOS

Como o próprio personagem explica no longa, Bruce Banner que durante todos esses anos lutou contra o monstro verde no qual não possuía controle, decide unir a inteligência de Banner e a força de Hulk, obtendo assim, o melhor dos dois mundos. A junção resolve o arco do personagem e abre portas para abordar um novo Hulk no futuro do MCU.

O FUTURO DO MCU

Após nos despedirmos dos personagens que tomavam a frente dos Vingadores, Tony Stark e Steve Rogers, será necessário aguardarmos os próximos passos do MCU para descobrirmos mais sobre a nova fase que se iniciará, mas já estamos contando com a continuação de Capitã Marvel 2, Homem-Aranha: Longe de Casa, o filme solo da Viúva Negra, Guardiões da Galáxia Vol.3, Pantera Negra 2, Doutor Estranho e Os Eternos.

Vingadores Ultimato estrou no Brasil em 25 de abril e arrecadou mundialmente US$ 1,2 bilhões no fim de semana de estreia.

TRAILER:

NOTA:

Confira nossos últimos textos no blog, clicando aqui

Uma jornalista um tanto quanto nerd, apaixonada por conteúdo, música, filmes, séries e afins. Fundou o blog para dividir as alegrias e as angústias de uma vida que surpreende a cada novo capítulo.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.