Em 2021, aprendi a Florescer. Floresça.
Blog,  Gerando Conversa

2021 | Florescer

Ouça o nosso conteúdo:

Já presenciaram o temor e a ameaça de um furacão? Eu não, mas com o que aprendi ao longo da vida estudando, assistindo ou lendo os jornais sobre este fenômeno da natureza, é de se imaginar um. Digo isso porque a sensação que o ano de 2021 deixa… é a de um para mim.

Uma combinação de fatores pode ocasionar um furacão, sendo eles atmosféricos e geográficos, formulando este sistema circular de ar numa velocidade absurda e com baixa pressão sobre regiões oceânicas. Existem riscos maiores quando a temperatura da água é mais quente.

Não, calma… eu não quero dar lição sobre isso para ninguém aqui, até porque me falta conhecimento sobre o assunto, quero apenas um pano de fundo para ilustrar o corpo do meu texto e para corporizar a minha ideia aqui.

Nos momentos mais quentes ou alegres do meu 2021, um furacão se formou, mas eu não vi nenhum deles acontecendo, porque não tenho uma equipe de monitoramento; e quando finalmente eles chegaram, devastaram tudo ao meu redor. TUDO.

Eu me vi na boca de um furacão várias vezes durante 2021, mas ele escolheu me manter todas as vezes no centro, girando e destruindo tudo o que eu mais amava, sem que eu pudesse impedir ou sequer alcançar as pessoas que eu mais amava na tentativa de salvá-las.

Durante todo o ano e a cada novo furacão que passava e bagunçava tudo por aqui, eu tentava ignorar o fato dele ter sido real. Eu passei 2021 num estado completo de negação da minha realidade porque ela era dura demais de vivenciar, acreditar ou enfrentar. Estamos todos cansados de saber que parte de vencer difíceis etapas, é atravessá-las, às vezes eu só gostaria que as pessoas parassem de romantizar o sofrimento.

Perdi as contas de quantas noites fui dormir na esperança de que ao acordar no outro dia, tudo o que havia sido destruído, tivesse sido apenas um pesadelo de uma noite ruim, mas spoiler alert: não foi.

Eu não queria que o balanço do meu 2021 fosse tão sobrecarregado, mas gostaria de te dizer, que assim como um furacão passa, devasta e machuca, pode levar tempo, mas é possível nos reerguermos, ajeitarmos a bagunça, cuidar das feridas para que no futuro elas se tornem cicatrizes e lembranças de que sobrevivemos.

Em 2021, aprendi a Florescer. Floresça.
CRÉDITOS DA IMAGEM - Marcella Montanari

Existe reconstrução, após a devastação.

Depois do 2.0, 2021 me parecia, pelo menos inicialmente mais esperançoso, onde talvez uma parcela da nossa vida antiga pudesse retornar em forma de abraços, aconchegos e reencontros. A vacina veio, os primeiros e cautelosos reencontros também, até que as perdas vieram de forma inesperada.

Alguns diriam que a minha sorte (até eu disse isso) é ter pessoas na minha vida que eu poderia contar ou me apoiar nesse período difícil. Nunca foi sorte. Carinho, amor e consideração nós cultivamos ao longo da vida e só descobrimos aqueles que realmente se importam conosco quando mais precisamos daquele amparo, colo e carinho. Uma mensagem ou uma ligação já nos reacende um pouco, mas se apaga em seguida se fica por isso mesmo. Não importa se nos conhecemos há uma vida, se dividimos segredos, compartilhamos sorrisos e alguns choros SEUS quando VOCÊ precisou.

Se tu me afastas em momentos como esse, tudo vira pó, e pó o vento leva para outros cantos.

Foi um ano doloroso, mas de muito aprendizado e de descobertas. Tantos véus e máscaras caíram nos últimos dois anos e pessoas se tornaram líquidas, fazendo com que eu jamais conseguisse segurá-las por tanto tempo sem que as assistisse fluindo entre meus dedos.

Há quanto tempo vivi de mentiras achando que o ilusório fosse tangível? Não sei, mas apesar de toda a saudade e a dor causada por ela e pela revelação da verdade, o alívio de finalmente conseguir enxergar é inestimável. Pessoas sumiram sem dar notícias, sem olhar para trás e me descartaram para que eu fosse reciclada… e fui.

2021 era para ter sido vazio com tantos impactos, mas não foi, porque carinho e amor não me faltaram. Eu fui presenteada com a verdade, com a pausa de medos e pesadelos e meu choro de tristeza se tornou crises de riso porque o ‘se importar’ veio, mesmo que de lugares ou pessoas que eu não esperaria, por vezes.

Eu só queria te dizer Marcella, que apesar dos destroços dos furacões que você enfrentou, ainda assim, é possível florescer. Floresça. 🌻🌹

Continue navegando em nosso blog. Para acessar o último post publicado, clique aqui.

Uma jornalista um tanto quanto nerd, apaixonada por conteúdo, música, filmes, séries e afins. Fundou o blog para dividir as alegrias e as angústias de uma vida que surpreende a cada novo capítulo.

One Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.