Análise Psicológica do personagem Batman
Ensaio da Mente,  Entretenimento

O HOMEM-MORCEGO | ANÁLISE PSICOLÓGICA

Ouça o nosso conteúdo:

Durante a minha infância e parte da adolescência, tive uma grande resistência com o Batman, achava ele sem graça. Talvez porque ele não possui nenhum superpoder, sendo basicamente um ser humano traumatizado como outro qualquer, porém com poder aquisitivo o suficiente para produzir alguns apetrechos e sair bancando o justiceiro durante a noite. 

Depois de um tempo, com maturidade e conhecimento, pude perceber que o Batman é muito mais que isso, e venho através desta análise mostrar a grandiosidade do personagem através de aspectos psicológicos e emocionais.

Criado por Bob Kane, Batman teve sua primeira aparição na revista em quadrinhos: Detective Comics, em 1939. Mas foi só no final do século XX, que o super-herói assumiu seu lado mais sombrio através de escritores e diretores de cinema.

O Batman é fruto de um trauma sofrido por Bruce Wayne, após seus pais serem assassinados na frente dele aos 8 anos de idade. Eventos traumáticos levam pessoas a questionarem suas próprias crenças fundamentais, dessa forma, o trauma pode ser uma força positiva e poderosa que induz ao amadurecimento.

Uma análise psicológica sobre o homem-morcego
CRÉDITOS DA IMAGEM - (Reprodução: DC Comics)

Quando Bruce ainda era criança, ele caiu dentro de um poço no jardim de sua casa, sendo atacado por morcegos, ele desenvolve então quiroptofobia, ou seja, fobia por morcegos, tendo como resultado, frequentes pesadelos e ataques de pânico.

Após a perda traumática de seus pais, o espírito de justiça surge, onde Bruce deseja evitar que outras pessoas passem pelo que ele passou, mas para isso, o medo deveria ser inexistente, e assim então nasce seu alter-ego: Batman.

Bruce Wayne transforma o seu maior medo em sua principal força, e se dedica a fazer justiça com a morte dos pais, para assim então proteger pessoas inocentes de atos criminosos. O personagem tenta amenizar o sentimento de culpa evitando que outras pessoas sofram como ele sofreu.

O Homem-Morcego possui um sistema que rege seu comportamento e tenta aumentar a resistência de seus instintos à violência, vingança ou ao lado sombrio que possui, sendo a união perfeita entre os dois lados que todos nós temos, o bem e o mal.

É nítido o autocontrole e a disciplina do personagem perante situações de extrema carga emocional. O autocontrole funciona como um músculo, e assim como os músculos, ele precisa ser treinado e exercitado, e Batman faz isso maravilhosamente bem.

Mas afinal de contas? O famoso Homem-Morcego, mais conhecido como o Batman, ou melhor, Bruce Wayne precisa fazer psicoterapia?

Se ele fosse real, com certeza precisaria, afinal de contas, tudo o que ele se tornou foi devido a um trauma, uma perda significativa que precisaria sim ser trabalhada. Pessoas que passam por grandes traumas geralmente não conseguem lidar com eles sem precisar de ajuda.

O Ensaio da Mente sobre o Batman, o famoso Homem-Morcego
CRÉDITOS DA IMAGEM - (Reprodução: DC Comics)

Os traumas afetam de maneira negativa o indivíduo, refletindo nas relações sociais e na maneira de lidar com problemas e frustrações. A psicoterapia agiria com o propósito de ressignificar a morte de seus pais, fazendo com que Bruce Wayne pudesse seguir a vida sem culpa e melancolia.

Contudo, não é apenas Bruce que precisaria de terapia, se analisarmos seus inimigos a maioria deles (para não se dizer todos) precisariam passar pelo bom e velho divã. Os vilões, assim como Batman, passaram por algum tipo de tragédia, mas diferente do Homem-Morcego eles culpam a sociedade disseminando ódio e caos por onde passam.

Acredito que Batman é uma figura que representa a todos nós: uma pessoa que luta com todas as coisas que eu ou você lutamos diariamente, tentando fortalecer nossas virtudes e minimizar nossas fraquezas.

Bruce é um homem que encarou uma tragédia e fez escolhas para triunfar, mostrando que somos os únicos responsáveis por moldar e transformar nossas vidas, independentemente do que aconteça.

Ao contrário do que muita gente assim como eu pensava, o fato do personagem não ter superpoderes é algo extraordinário, porque nos mostra a grandeza do ser humano e tudo que ele se tornou foi através da disciplina, autoconhecimento e resiliência, algo que é totalmente acessível a todos nós e que podemos conquistar através da psicoterapia.

Continue navegando em nosso blog. Para acessar o último post publicado, clique aqui.

Uma psicóloga que busca promover saúde mental e explicar assuntos relacionados a psicologia através de filmes e séries de maneira simples e descomplicada.

One Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.