Os Guardiões do Tempo na série Loki, da Disney+
Entretenimento,  Série e TV

LAMENTIS | TERCEIRO EPISÓDIO DE LOKI

A série Loki segue de forma frenética a fritar nossos cérebros que tentam entender toda a complexidade do multiverso da Marvel e a cada nova teoria que surge na trajetória do Deus da Trapaça; não isentando o terceiro episódio: Lamentis.

No terceiro episódio, conhecemos um pouco mais sobre a famosa Variante que tem tirado o sono da TVA, Sylvie (Sophia Di Martino), a versão feminina de Loki, vinda de outra linha temporal.Temos acompanhado Sylvie sabotando a Linha do Tempo Sagrada desde o primeiro episódio, mas agora sabemos o rosto da variante e somos introduzidos a algumas informações sobre ela.

Conforme a história acompanha os acontecimentos do segundo episódio, Loki segue Sylvie pelo portal aberto através do Temp Pad, os levando de volta à sede da TVA. A intenção de Sylvie se concretiza como uma das teorias que citamos no segundo texto aqui no blog, em que ela utiliza a criação do multiverso como distração para chegar até os Guardiões do Tempo.

Loki e Sylvie em Lamentis, na série Loki na Disney+
(Divulgação: Loki | Disney+)

Eventualmente, como nada é tão fácil como parece, Loki acaba atrapalhando os planos de Sylvie, e sem querer, acaba transportando-os pelo Temp Pad, na intenção de fugir de Ravonna Renslayer (Gugu Mbatha-Raw) e alguns homens-minuto para a lua Lamentis-1, em 2077.

A lua Lamentis-1 é um dos apocalipses salvos por Sylvie no Temp-Pad, e de acordo com ela, o pior de todos, já que o planeta próximo de Lamentis irá colidir com a lua e causar a sua destruição total. O problema é que na última utilização do dispositivo móvel, o Temp-Pad fica sem bateria, deixando ambas variantes de Loki num local que em 12 horas ocorrerão meteoros, terremotos gravitacionais e o colapso da sociedade diante da aniquilação ao ter a lua colidida com o planeta próximo.

A fim de sobreviver ao apocalipse em que se meteram, as variantes iniciam uma busca para encontrar uma fonte de energia massiva para recarregar o Temp-Pad. É nesta jornada que começamos a descobrir um pouco mais sobre Sylvie, já que o episódio foca na nova personagem e na interação entre ela e Loki.

MAS AFINAL, SYLVIE É LADY LOKI?

Sylvie em Lamentis, na série Loki na Disney+
(Divulgação: Loki | Disney+)

Surpreendentemente, Sylvie pode ainda ser a Lady Loki dos quadrinhos, mas pode também ser simplesmente a Sylvie, uma personagem independente e única do universo Marvel.

Enquanto eles caminham em direção à estação de trem, Sylvie explica que não gosta de ser chamada de Loki porque há muito tempo já não é mais a mesma pessoa, sendo assim, ela utiliza o nome adquirido como codinome.

Ficando claro que apesar do codinome, sua origem também é Loki. Este fato fica ainda mais claro quando ambos chegam ao trem e nele começam aos poucos se abrirem e tocarem em assuntos pessoais que só eles saberiam.

“Eu sou Hedonista. Muito mais do que você, garanto. Mas nunca às custas da missão.”

AS VARIANTES E SUAS SEMELHANÇAS | LAMENTIS

Sylvie e Loki em Lamentis, na série Loki na Disney+
(Divulgação: Loki | Disney+)

Enquanto Syvlie e Loki caminham para a estação de trem, na intenção de chegar até a Arca (a nave de evacuação), podemos conhecer um pouco mais sobre a variante e analisar suas semelhanças, e claramente, as diferenças entre eles.

Algo que é importante ressaltar nessa jornada de Loki, é como a Marvel tem explorado um lado humanizado do personagem, diferente do vilão já conhecido nos demais filmes. O flerte entre o herói o vilão não é novidade, mas é a primeira vez que de fato vemos Loki demonstrando graus de empatia e deixando transparecer alguns sentimentos, principalmente ao falar sobre a mãe, Frigga (Rene Russo), que parece ser um ponto sensível para o Deus da Trapaça.

Enquanto estão no trem, ambos conversam sobre fatos da vida para se conhecerem melhor. Diferente de Sylvie, Loki mantém lembranças vívidas da mãe e um carinho devoto a ela, contando para a variante que foi Frigga que ensinou magia a ele, portanto, sendo responsável pelo desenvolvimento de suas habilidades. Já Sylvie, revela que mal se lembra da mãe, que tem apenas visões de um sonho. Em relação à magia que realiza, a variante revela que é autodidata e aprendeu tudo sozinha.

Em determinado momento da conversa, Loki acaba adentrando no tema amor, e é assim que a Marvel nos revela que Loki e sua variante, são bissexuais.

“O amor é uma adaga. É uma arma para ser empunhada longe ou perto. Você pode se ver nela. É bonita, até que ela te faz sangrar. Mas, por fim, quando você a pega, não é real.”

Loki e Sylvie no trem em Lamentis
(Divulgação: Loki | Disney+)

A própria Sylvie esclarece para Loki no segundo episódio que não tem a intenção de tomar posse da TVA e ocupar o lugar dos Guardiões do Tempo. Na realidade, ela revela que o plano dela estava em execução há anos, antes de ser interrompido por Loki. Mas ao que parece, assim como Loki, Sylvie flerta com o caos, como já havíamos citado nos primeiros textos da série aqui no blog.

A ESCRAVIZAÇÃO DE VARIANTES E A FARSA DA TVA | LAMENTIS

Sylvie e C-20
(Divulgação: Loki | Disney+)

Diferentemente dos episódios anteriores, Lamentis não traz tantas informações novas, porém, traz um fato importante sobre a TVA, se aproximando de algumas teorias levantadas e apontadas por nós nos textos anteriores.

Entre as diferenças de poderes e habilidades entre Sylive e Loki, o Deus da Trapaça não sabe realizar o encantamento que a variante faz, e ao questioná-la de como funcionaria, ela descreve o processo da magia e conta que a mente da soldada C-20 da TVA, cujo ela sequestrou no início do segundo episódio, estava uma bagunça, onde as memórias estavam enevoadas, e que por isso, precisou puxar lembranças de cem anos antes da funcionária se juntar a TVA.

Portanto, diferente do que sabíamos até aqui, a TVA vem mentindo sobre a origem de seu quadro de funcionários, já que Sylvie relata que a C-20 era apenas uma pessoa normal da Terra, que adorava margaritas, refutando a informação que deram a Loki, de que todos aqueles que trabalham na TVA foram criados pelos Guardiões do Tempo.

Para complementar a informação, Sylvie ainda acrescenta que assim como eles, todos os funcionários da TVA são variantes, mas eles mesmos não sabem disso.

A SENHORITA MINUTOS

Senhorita Minutos
(Divulgação: Loki | Disney+)

Vocês devem se lembrar da Senhorita Minutos, certo? O mascote “fofo” da TVA em formato de reloginho que conta tudo sobre a criação da TVA para o público no início da série, relatando sobre os Guardiões do Tempo e explanando como acontecem os julgamentos dos infratores do tempo.

No início do segundo episódio, a Senhorita Minutos tem uma cena específica com Loki, onde ela o questiona sobre alguns fatos importantes da TVA, já que Mobius pediu para que o Deus da Trapaça estudasse e fizesse um treinamento sobre como a agência funciona. Nesta cena específica, Loki pergunta para a Senhorita Minutos: Você é uma gravação? Ou está viva? – e ela responde: Um pouco dos dois.

Analisando este diálogo com a informação dada por Sylvie, somamos outro fato interessante à história. A Senhorita Minutos tem um perfil próprio no twitter e de vez em quando posta alguns tweets codificados ou em outros idiomas com mensagens subliminares.

Recentemente ela publicou algumas mensagens que se parecem com o nórdico antigo, como mostra abaixo:

Algumas pessoas conseguiram decodificar a mensagem que está escrito algo como: “assim que eu escapar desta prisão infernal que é a TVA, vou queimar tudo até o chão.” Alguns tweets depois, ela anuncia um pequeno erro na sua codificação, mas que o problema já foi resolvido.

Ao que parece, até mesmo a Senhorita Minutos pode ser uma variante presa no corpo da animação. O que torna a teoria ainda mais interessante, é o fato de que na falha de sistema, a pessoa presa dentro da animação pode ter tentado se comunicar, mas a linguagem em nórdico antigo ou semelhante ao idioma, poderia talvez ser outra variante de Loki ou alguma pessoa de Asgard. Já imaginou?

LAMENTIS

Lamentis
(Divulgação: Loki | Disney+)

O terceiro episódio da série nos entrega uma nova percepção do personagem, e passamos a enxergar nele mais do que um vilão ou um Deus Nórdico, mas um Loki que entre tantas novas descobertas, parece tentar se encontrar ou se identificar.

A série nos presenteia com essa exploração sobre identidade, aceitação e amor, algo muito diferente da arrogância, do sarcasmo e do humor ácido, que até então, eram as características mais aparentes ao público do Deus Nórdico.

É surreal como Tom Hiddleston consegue adaptar o personagem dentre diversas camadas de forma brilhante, sem nos fazer perder o encanto pelo personagem, independentemente de onde ele atue, seja com aspectos heroicos ou malignos.

As cenas gravadas dentro do trem nos entregam as melhores partes do episódio Lamentis. Explorando momentos de revelações, humor, tristeza e ação. A cena que Hiddleston canta em norueguês, é sem dúvida, uma das cenas mais especiais. A música interpretada pelo ator, se chama: Jeg Saler Min Ganger, e foi composta exclusivamente para a série.

As cenas de ação filmadas na Arca tem um plano sequencial bem feito, que mantém o hype do momento com as coreografias de luta performadas por Loki e Sylvie. A Marvel esquece apenas de deixar aquele famoso gancho para o próximo episódio.

Continue navegando em nosso blog. Para acessar o último post publicado, clique aqui.

LINK AMAZON:​

Ta pensando em aumentar sua coleção? Dá uma olhada nos produtos que selecionamos pra vocês 👆, mas se não encontrou nada do seu interesse, relaxa, você pode procurar o produtinho que você quer clicando AQUI – comprando através do nosso link, sua compra não muda EM NADA e você ainda contribui com o Raprosando

Uma jornalista um tanto quanto nerd, apaixonada por conteúdo, música, filmes, séries e afins. Fundou o blog para dividir as alegrias e as angústias de uma vida que surpreende a cada novo capítulo.

One Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.